terça-feira, 18 de maio de 2010

Miss Suéter!Elegância e sensualidade com o sutiã Bullet!


Seios Pontudos com o sutiã!

ANTES DO SILICONE




Nas décadas de 1950 e 1960, um concurso despertava muita atenção, embora sem o glamour idêntico ao que existia no Miss Brasil. Tratava-se do Miss Suéter, um certame que procurava destacar as jovens que aparentavam ter bustos bem proporcionados. Ninguém falava naquela época em silicone. Os únicos truques permitidos, e que todos sabiam que existiam, eram os de as concorrentes usarem sutiãs de boas marcas que destacavam suas silhuetas, sutiãs cujas propagandas podiam ser vistas nas maiores revistas brasileiras, como os da marca Magic-Form e De Millus. Para usar no concurso, o ideal era o sutiã no estilo denominado bullet, que deixava os seios pontiagudos.


Tal como nos certames de beleza de maior prestígio, o Miss Suéter era composto de garotas consideradas fortes e fracas concorrentes, assim como de satisfação e insatisfação quando os resultados eram anunciados


Após a 2ª Guerra Mundial, quando as mulheres buscaram resgatar o glamour racionado durante o conflito militar, entrou em cena o Bullet Bra, o sutiã cônico que parecia querer intimidar o interlocutor. Aliás, o próprio nome, que pode ser traduzido como «sutiã-bala», parece sintomático do período pós-guerra em que ele surgiu. Esse acessório criava a silhueta pontuda perseguida pelas garotas que queriam imitar as curvas das estrelas de cinema dos anos 50 como Lana Turner, Jane Russell, Diana Dors e Marilyn Monroe.





Suéteres!
Você pode tê-lo em todas as versões: Cardgan, Gola rulê, Pescoco em V, Pescoco quadrado, com botões ao lado... Experimente com silk é um luxo só!

O traje perfeito para o inverno, as fibras sao naturais, é super quentinho e muito, muito confortável.¨
Já dizia Coco Chanel: "Luxury must be comfortable otherwise it is not luxury".

Amo a história de marcar os seios com um belo suéter, lindo elegante sem ser vulgar estou louca por um sutiã desses quem souber aonde tem me avise por favor...
Beijinhos chérries!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Você quer tudo ?? Seja como Frodo Bolseiro!


VAI SER COMO O FRODO BOLSEIRO!


Frodo foi à casa do Bilbo para receber um presente. Presenteiam-se por exercício de estima, normal. Mas Frodo chegou lá e... Ganhou TUDO que Bilbo tinha!

Bilbo, o tiozão rico e maluco, deixou TUDO!

- Imagina... Frodo Ganhou tudo! Não precisaria fazer mais nada em sua vida a não ser desfrutá-la.

- Ganhou tudo e mais um anel... Caracoles, o anel mudaria tudo ou não?

O dilema de nossas vidas!

Agora, Frodo tinha dois caminhos: ser o hobbit mais gordo, bêbado e rico do seu condado ou se perguntar por que alguém, com tanto, simplesmente DEIXA para trás tudo que conquistara...

E nessa, Frodo vê uma luz, maluuuco!

Então... Gandalf conta a história do anel até ali... E eis o dilema de Frodo: largar os bets com a vidinha pacata e conhecer a vida depois do condado; ou ficar em casa lendo a história de outros, histórias que ELE, FRODO, poderia escrever também. Poderia e QUERIA!

Então... Esclarecido por Gandalf sobre os cuidados e missão do anel, Frodo se abraçou com a causa de tudo o que lhe importava realmente naquele período e preparou-se.

Você quer tudo? Vai ser como o Frodo Bolseiro!

Precisamos deste exemplo! Estava tudo na mão: uma bela herança, uma vida abastada. Mas é preciso sair do Condado, talvez subir em uma árvore e ver como estão as coisas...

Pode ser uma decisão difícil, como a de Frodo Bolseiro... E quem disse que tudo é fácil, saia do Condado seja como Frodo, O Bolseiro!



Israel "surfer", Jacko e Lee.
Resolvi publicae este texto devido a grande veracidade  e insentivo qque ele nos dá !!! è de um amigásso meu achei super 10 pra quem quer tudo ou pra quem ja tem tudo!!!
Beijinhos Cherriés!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Marlene Dietrich! A Diva dos Marlenes...






Marie Magdalene Dietrich teria completado 100 anos em 27 de dezembro de 2001.

Em 1922 ela adotou o nome Marlene Dietrich e passou a dividir seu tempo entre o teatro, o
cinema e o cabaré; dois anos depois nascia sua filha Maria, fruto de seu casamento com o
assistente de direção Rudolf Sieber. A vida da maior estrela do cinema que a Alemanha já
teve foi marcada pelo perfeccionismo, pela ousadia e por amores de ambos os sexos.
Enigmática e fria, prussiana disciplinada, ícone de antigos movimentos feministas,
antifacista engajada, suposta traidora da pátria, avó erótica do cinema – foram várias as
facetas oferecidas pela diva alemã a sua legião de admiradores.
Lisboa-Rehberg (2001) defendeu, em seu trabalho de mestrado, as múltiplas faces
de Dietrich, sem destruí-la enquanto mito. O mito alemão do cinema do século vinte é parte
integrante da história alemã, como personagens e vozes políticas. Dietrich representa cada
alemão que lutou contra a barbárie política nazista. Passada a guerra, teve que amargar a
posição política assumida: foi por muito tempo xingada na Alemanha de “traidora da pátria
Dentre as muitas acepções do termo mito, há uma que remete à pessoa ou fato
representado ou concebido pela imaginação popular de forma exagerada (cf. Ferreira, 1986).




Marlene Dietrich: do mega ao contido


Marlene Dietrich foi considerada um mito do século passado, dando origem a
inúmeras biografias e homeangens. Recentemente, a título de exemplo, foi organizada, por
Bruno Fischli – diretor do Instituto Goethe, em Sao Paulo -, uma retrospectiva de seus filmes.
O mito de Marlene Dietrich nasceu pelas mãos do diretor austríaco Josef von Sternberg, que
em 1929 chamou a atriz para o papel da cantora de cabaré em O Anjo Azul. No dia seguinte à
estreia do filme, a atriz foi ao encontro de Von Sternberg em Hollywood, e trabalhou com ele
em outros seis filmes, contratada pela Paramount. Já os dois primeiros, o clássico Marrocos
Marocco, 1930) e Dishonored (1931), definiram o “Dietrich-Touch”: a femme fatale
solitária, cujo passado não lhe dava paz. As mulheres às quais Marlene dava vida na tela
eram inteligentes e independentes, assim como ela o era na vida real.
Em 1936, a atriz recusou os insistentes convites de Joseph Goebbels, ministro da
Educação e Propaganda do 3º. Reich, para retornar à Alemanha, onde cada filme lhe
renderia uma fortuna. Ela era a estrela de Hollywood que Hitler queria conquistar para fins
de propaganda. Mas Marlene continuou nos Estados Unidos e, em 1939, tornou-se cidadã
americana. Deu toda a ajuda possível aos imigrantes em Hollywood e, nos anos 1943/44,interrompeu suas atividades no cinema para dedicar-se ao entretenimento de tropas

americanas nos fronts na África e na Europa e a trabalhos em hospitais. Nessa época, ela
incluiu em seu repertório a famosa canção “Lilie Marleen”, que a acompanharia até o final
de sua vida. Por seu enganjamento durante a Guerra, a atriz recebeu condecoraçoes dos EUA,
França e Israel. Mas na Alemanha muitos não a perdoaram por retornar ao país, e costumava
repetir: “Sou berlinense, gracas a Deus!”



Marlene Dietrich atuou em 55 filmes, trabalhando com diretores como Ernst Lubitsch, Billy Wilder, Alfred Hitchcock, Orson Welles e Fritz Lang; seu último grande

papel no cinema foi em Julgamento em Nuremberg (Judgement at Nuremberg, 1961),
dirigido por Stanley Kramer. Em 1953, ela iniciou sua igualmente bem-sucedida carreira de
cantora, ou melhor, de diseuse, com um show em Las Vegas. Sua voz rouca e sensual
deleitou platéias ao apresentar-se na ousadia misteriosa de sua aparência, fosse em seu
esvoaçado chiffon branco ou em seu manto de cisne branco; em todos os continentes, fosse
em Nova York, Londres, Paris, Moscou, Tóquio, Jerusalém ou no Rio de Janeiro – onde se apresentou em 1959 e gravou o LP “Dietrich em Rio” - , até 1975, quando quebrou o femur
ao cair do palco em Sidney, na Austrália. No ano seguinte, passou a viver reclusa em seu apartamento em Paris. Em 1978, aceitou um último papel no cinema, no filme Apenas um
Gigolo (Just a Gigolo), de David Hemmings. Em 1984, publicou, na França, seu livro de
memórias, Marl`ene D. par Marl`ene Dietrich. A atriz morreu em 6 de maio de 1992, em
Paris. Conforme seu desejo, foi sepultada em Berlim.

Resolvi fazer este post sobre esta mulher que se tornou um mito , por que gosto muito de uma banda chamada Diedrich e os Marlenes, banda de punk rock curitibana, e resolvi pesquisar quem era essa tal de Marlene que inspirou os caras no nome da banda , o nome do vocalista Oneide Diedrich , quase Dietrich , e assim pela magnitude da mulher escolheram o nome da banda , uma cantora ,atriz e mulher de cabaré com muitas pitadas a la pin up sensual polêmica e linda!
Beijinhos Cherriés

terça-feira, 27 de abril de 2010

Cinta Liga!



 Cinta liga um acessório que desperta desejos nos homens e nas mulheres de formas diferentes, e pra quem curte o estilo pin up sabe que é impossível viver sem ela ,existem vários formatos dos mais simples aos mais arrojados,incorporados em camisolas ,em calcinhas e também sozinhas veja abaixo de onde surgiu as maravilhosas cintas ligas.


Um acessório sensual muito usado na década de 20 foi a cinta-liga, criada para segurar as meias 7/8. Dançarinas do Charleston exibiam suas cintas-ligas por baixo das saias de franjas, enquanto se sacudiam ao som frenético das jazz-bands. Ainda nos anos 30, a cinta-liga era o único acessório disponível para prender as meias das mulheres, que só tiveram as meias-calças à sua disposição a partir da década de 40, com a invenção do náilon em 1935.


bjinhos cherriés!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Pin Ups Girls Brasil

Gentem...
A Mademoiselle Pri  querisíssima me apresentou o Pin Ups Girls Brasil, é tipo um blog ou site onde você tem seu próprio espaço dá pra adicionar fotos e tudo mais é super legal muito bem elaborado.
Vai ai o endereço pra vocês:
http://pinupgirlsbrazil.ning.com/

Banner oficial!
Divirtam-se façam sua página lá eu ja tenho a minha!
Beijinhos Cherries!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vintage X Retrô

Vintage é uma palavra cuja origem ou significado em inglês vem de “vint” relativo à safra de uvas e “age” de idade. Utilizado para designar as melhores safras, o termo acabou por representar também o melhor de sua época. Convencionou-se chamar de vintage os produtos dos anos 50, 60 e 70 que viraram uma referencia no seu tempo, tais como: carros, relógios, guitarras, móveis, roupas, etc. Ou seja quanto mais velhor melhor um ótimo trocadilho!
 
 Retrô ,retorno a estilos do passado, sugerindo a tentativa de recuperar glórias de outras épocas ou de outros povos. Termo principalmente usando na área da moda.
 

O termo retrô (re-tro, e em inglês retro) significa para trás. Tá, você deve estar pensando que tudo está relativo ao velho, e qual é a diferença? Vamos exemplificar: Imagine você indo ao brechó e dá de cara com uma maravilhosa peça (roupa, acessório, objeto de decoração) da idade da sua avó ou mais antiga ainda em perfeito estado. Isso é vintage! É algo antigo que fez sucesso em uma determinada época e que ainda vive... digamos assim. Já o Retrô seria um lançamento de algo influenciado por uma peça vintage, totalmente repaginados. Aqui não se trata unicamente de moda e bobagens fashions, mas é relativo a tudo. Se vintage é você ir a um brechó e dar de cara com um fiel vestidinho anos 50, retrô é você ir no shopping e ver um relançamento de um vestidinho, no mesmo estilo daquele anos 50 lá do brechó.

Mas sempre fica aquela perguntinha no ar “O que é melhor ser vintage ou ser retrô?” já que é basicamente impossível viver nos dias de hoje sem uma pegada das antigas ;) Sem algo do velho incorporado ao novo, seja na música ou nas artes em geral e principalmente na moda. Eu adoro coisas antigas e genuínas mas não abro mão de nada novo que me transporte ao velho. Outras pessoas sempre associam o vintage ao início do séc 20 até os anos 30 e retrô aos anos 40,50 e 60, Já percebi isso diversas vezes. Mas acho que já entenderam o porque da minha frase no making of a pin-up “Diário de uma mulher vintage e 100% retrô”. Para ser considerado algo retrô é necessário no mínimo 20 anos diferença com a nossa época atual.

Resumindo: O vintage é algo velho com cara de novo e o retrô é algo novo com cara de velho. Quem é vintage é retrô e quem é retrô é vintage. 


By Mademoiselle Priscilla!

terça-feira, 30 de março de 2010

Resutado do sorteio!!! Mimos do Avon!

Gente como eu não tenho nenhum sistema de sorteios ainda, pedi a um amigo do msn falar um numero de  1 a 220 e ele sorteou o numero 2.

A ganhadora é a Karine Stefanny Grein de Curitiba, minha visinha de Capital.
Karine vc tem 3 dias pra me responder o email, caso não responda será feito outro sorteio!

Ah e aviso depois desta confirmação terá o novo sorteio com uma escova bem legal do blog Manoella.

terça-feira, 23 de março de 2010

Pin ups Negras, jóias raras...

É bem difícil encontrar pin ups negras ,mas encontrei algumas, se alguem tiver mais fotos ou alguma história sobre pin ups negras me manda por email. Bjinhos Cherriés!


Josephine McDonald, dançarina dos anos 40 conhecida também como a Vênus Negra.





Modelo Pin up desconhecida,tirada do site pinupgirlclothing.com.





Pin up desenhada pelo artista Marco Angeli.


Modelo Naomi Campbell em ensaio a la pin up.

terça-feira, 16 de março de 2010

Pin Up gordinha sim! Meus ensaios!





Olá pessoal, estou hoje postando fotos dos meus ensaios como pin up, admiro o estilo e não acho que o fato de eu ser gordinha me impeça de fotografar como pin up, algumas pessoas podem criticar ou achar estranho, mas as verdadeiras pin ups , são aquelas que tem atitude , que passam por cima de barreiras e preconceitos e eu estou aqui pra isso derrubar tabus e mostrar que posso ser sensual , sem ser vulgar e posso ser uma pin up ter ter formas maiores!!!
Beijos cherriés!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Garotas Tatuadas!!!

Histórico resumido sobre a tatuagem

A tatuagem é uma aplicação subcutânea de pigmentos, feita por agulhas.
É uma das formas de modificação do corpo mais conhecidas e cultuadas do mundo. James Cook (1769) – “descobridor” do surf –, foi o primeiro a cunhar a palavra (tattow), também conhecida como tatau.
Tatau é a onomatopeia da execução da tatuagem com ossos finos (como agulhas)
e uma espécie de martelinho para introduzir a tinta na pele. Existe uma versão – tudo é possível! –, que diz que “tat seria o barulho do instrumento que perfurava a pele e au o grito de dor da pessoa sendo tatuada”!... Vai saber?!?!...

Historicamente,
as mais antigas tatuagens conhecidas (5000 anos), são as da múmia encontrada entre a Áustria e a Itália, a já famosa Ötzi, que possuía 57 delas. Existiram no Egito (4000 anos) e eram usadas por polinésios, filipinos, indonésios, neozelandeses (os maoris as usavam no rosto). Nas Ilhas do Pacífico (séc. XVIII), alguns habitantes se tatuavam ao longo de suas vidas, até cobrirem todo o corpo. As tatuagens normalmente estavam ligadas a rituais religiosos e/ou mágicos.


Disseminação da tatuagem pelo mundo

A Europa
descobriu-as com a circunavegação. Índios tatuados eram levados para o continente para exibições, como o príncipe Giolo (filipino), que era tatuado da cabeça aos pés.



No Brasil,
surgiu na década de 60, em Santos, introduzida por Knud Harld Likke Gregersen, um dinamarquês conhecido como Lucky Tattoo. Lucky mantinha uma loja na zona de boemia e prostituição da cidade e isso contribuiu muito para o estigma de arte marginal, preconceitos e discriminação social.

O estigma de "fora-da-lei" dos tatuados

O estigma de "fora-da-lei dos tatuados parece ter nascido com o costume.
A China (séc. VII), as considerava como sinal de barbarismo e eram usadas como punição, marcando criminosos. No Ocidente o papa Adriano I, ao argumento de que era “coisa do Demônio”, baniu seu uso. Na Inglaterra (1879), a tatuagem foi utilizada para a identificação de criminosos. O mesmo ocorreu nos campos de concentração nazistas, quando os judeus eram tatuados com números de série, no antebraço.

As pinups

As pinups e as tatuagens se encontram em Kate Vond D, a mais conhecida tatuadora do mundo, e em grande números das atuais pinups. Tatuar-se é, hoje, uma das características das mulheres que seguem o estilo das pinups. 
E sempre foi assim, quem ainda se admira ao ver uma mulher tatuada saiba que a prática é muito muiot antiga nas mulheres também,vejam algumas.
Nos dias atuais, tornou-se comum ver garotas com desenhos estampados pelo corpo e alguns piercings como adornos. Garotas tatuadas, de cabelos coloridos não chocam mais a pessoas que vivem neste mundo moderno. Esse estilo de vida acabou gerando uma subcultura formada por amantes da body art. Existem sites e culto a garotas mistura a doçura de uma Lolita de Nabokov com o charme e glamour das pin-ups.
No final do século XIX e durante metade do século XX, as tatuagens eram raras e pagava-se para ver pessoas tatuadas. Os circos foram os principais expoentes para os amantes da body art. Foi através deles que mulheres como Jean Furella e Betty Broadbent tornaram-se estrelas das feiras freaks.
Jean Furella como A Mulher Barbada, era uma das principais atrações no circo onde trabalhava, até que ela se apaixonou por um homem que não se sentia muito confortável com a uma mulher que tinha mais pelo nos rosto que ele. Não demorou muito para que
Furella raspasse toda a barba e tatuou todo corpo, continuando assim com a sua carreira no circo.


Jean Furella de mulher barbada para mulher tatuada
Betty Broadbent é conhecida como o freak mais belas do mundo. Foi o tatuador Jack Red Cloud que apresentou a body art para Betty que logo se apaixonou. Ela teve mais de 350 desenhos espalhados pelo corpo, muitos deles feitos por importantes tatuadores da década de 30, ela foi a principal atração New York World’s Fair em 1939. Betty afastou-se do show business em 1967 e tornou-se tatuadora profissional.


Betty Broadbent, considerada a maisbela mulher tatuada do mundo
“Foram os marinheiros ingleses, por meio do contato com os polinésios que difundiram essa prática pelo mundo. A reprodução de feras do mar, caveiras e embarcações demonstravam as aventuras desses homens que se lançavam pelo mar. Sendo os mesmos sujeitos de pouca condição financeira ou influência social, fizeram da tatuagem algo popular entre os guetos, prostíbulos e tavernas freqüentadas pela “escória”, ou seja, desocupados, lutadores de rua, criminosos e prostitutas. “* (Historia da Tatuagem)
Foi a partir da déecada de 70 que a tatuagem ganhou maior populiridade com a cultura pop que sugia na Califórnia naquela época, graças ao cinema,  ao rock n’ roll e ao espírito de rebeldia daquele período.” Logo vieram os surfistas e a  moda de braços decorados com imagens estilizadas no estilo oriental, como dragões e serpentes, por exemplo. “Na década de 80, foi a vez dos tigres e das águias. Desde então, a tatuagem teve um aumento tão grande de popularidade que o número de estúdios subiu de cerca de 300 para mais de 4.000 nos últimos 20 anos, nos Estados Unidos.“(Amana Rodrigues).
Hoje em dia  a tatuagem permanece como um símbolo de forma de expressão individual de arte e estética do corpo. O que era considerado freak no início do século passado, tornou-se um estilo de vida.



As Pin ups Girls de hoje!!!! Tatuadas claro!
.
Muita gente acha que tatuagens é coisa de rebeldes, ou é de agora ,neste post eu quis mostrar que tatuagens é coisa bem antiga, de antepassados, eu acho bonito ter tauagem ,diferente daqueles que se modificam todo ,que eu acho horrível, eu só não gosto de tatuagem em mim ,não tenho nenhuma tatoo, mas pra quem tem é bom conhecer desde quando existe e seus primórdios e principalmente nas mulheres, e agora no mundo lindo pin up, quase todas são tatuadas, e nelas colocam símbolos retrô como hotroads, v8, cerejas, andorinhas ,ancoras , corações e muito mais...
bjos e até a próxima!!!

Cherries and Peppers: